Rede – Hardware

Consultas Rápidas

Entre com palavras-chave em PROCURAR (evite preposições), ou selecione um item em CATEGORIAS, na coluna da direita.

Cat.5e x Cat 6

Cat.5e ou Cat 6, qual a melhor escolha?

O CAT-5e é um tipo de cabo usado em cabeamento estruturado Ethernet sobre par trançado. O cabo padrão fornece desempenho em até 100 MHz e é adequado para 10BASE-T,100BASE-TX (Fast Ethernet), e 1000BASE-T (Gigabit Ethernet). Também é utilizado para transportar outros sinais, tais como a telefonia e vídeo.

É frequente dúvidas de compradores de cabo Ethernet sobre usar Cat5e, ou Cat6. A maior parte desta confusão vem de um mal entendimento por parte do comprador que a compra de cabo Cat6 irá dar-lhes uma rede “all gigabit”. Este não é o caso. Uma rede para ser gigabit depende que todos os componentes suportem a capacidade de gigabit, já que a rede operará na velocidade do dispositivo mais lento.

O Cat5e cabo de boa qualidade pode ser executado próximo ou nas velocidades gigabit, mas não pode ser “certificado” para este uso. Em comparação, Cat6 é projetado especialmente para uso gigabit, e está certificado para operar na referida velocidade.

A questão é se vale pagar a mudança, para pouca ou nenhuma melhora notável no desempenho da rede. Na maioria dos casos, faz mais sentido manter Cat5e. É por esta razão que a maioria das novas instalações no setor privado mantem Cat5e.

Até logo!

Switch x Roteador

O que é um switch de rede  e o que é um  Roteador?

O que é um switch de rede? A maioria dos switches de redes empresariais de hoje são usados para conectar computadores, impressoras e servidores dentro de um edifício ou campus. Um switch funciona como um controlador, permitindo que os dispositivos em rede falem uns com os outros de forma eficiente.

O que é um switch não gerenciado? Ele não foi projetado para ser configurado e têm menos capacidade de rede do que switches gerenciáveis. Você encontrará geralmente switches não gerenciados em equipamento de rede doméstica.

O que é um switch gerenciado? É um switch configurável, que oferece maior flexibilidade e capacidade do que um switch não gerenciado. Pode ser monitorado e ajustado localmente ou remotamente.

Qual a diferença entre um switch e um roteador? Switches criam uma rede. Os roteadores conectam redes. Um roteador liga computadores à Internet, para que os usuários possam compartilhar a conexão. Um roteador atua como um despachante, escolhendo o melhor caminho para obter informações e encaminhar informações rapidamente.

Qual o papel do switch e do roteador para o ambiente de negócio? Switches e roteadores são os blocos de construção para todas as comunicações de negócios, sejam de dados, voz, vídeo, acesso sem fio. Eles podem melhorar a rentabilidade, permitindo a empresa  aumentar a produtividade, cortar despesas comerciais, e melhorar a segurança e serviços ao cliente.

Até logo!

Switches de pequeno à grande porte

Quais são os tipos e configurações de switch mais frequentes?

Switches Ethernet são, de uma forma geral,  classificados em duas categorias: Configuração fixa ou Modular. Switches com configuração fixa têm um número fixo de portas sem expansão. Podem ser gerenciados e não gerenciados. Switches modulares permitem  adicionar módulos de expansão como firewall, wireless,  análise de rede, interfaces adicionais, fontes de alimentação,  ventiladores, e assim por diante.

  • Switch não gerenciado. Esta categoria de switch é mais rentável para cenários de implantação de pequeno porte, que exigem apenas o  básico de funcionalidades da camada 2 – comutação e conectividade.  Em alguns switches são fornecidas capacidades do tipo: diagnóstico de cabos, priorização de tráfego usando as configurações padrão de QoS, capacidades de poupança de energia pelo EEE (Energy Efficient Ethernet) e até mesmo PoE (Power Over Ethernet). No entanto, como o nome indica, estes parâmetros geralmente não podem ser modificados / gerenciados. Você simplesmente liga sem nenhuma configuração.
  • Switch Gerenciado. É endereçado para redes de porte médio e grande. Existem de várias capacidades e funcionalidades. Os mais “leves” em capacidades são menos escaláveis, são uma boa alternativa para a borda de uma grande rede (com switches de maior porte no núcleo), como infra-estrutura para implantações menores, ou para as redes de baixa complexidade em geral. Permitem segmentar a rede em grupos de trabalho através da criação de VLANs.  Oferecem vários níveis de segurança, como a autenticação 802.1x, ACLs (listas de controle de acesso). Suportam qualidade de serviço (QoS) que facilita a priorização de usuários e aplicativos baseados em 802.1q / TOS / DSCP, tornando-se assim uma solução bastante versátil. Existem outras várias funcionalidades, de acordo com o aumento da complexidade e porte do ambiente de rede.

Velocidades. Encontra-se opções de configuração fixa em Fast Ethernet (10/100 Mbps), Gigabit Ethernet (10/100/1000 Mbps), Ten Gigabit (10/100/1000/10000 Mbps) e até mesmo alguns 40/100 Gbps velocidades. Atualmente, Gigabit é a velocidade da interface mais popular, embora Fast Ethernet ainda seja amplamente utilizada, especialmente em redes de menor porte.

Número de Portas. Switches de configuração fixa normalmente vêm em  configurações de 5, 8, 10, 16, 24, 28, 48 e 52 portas. Switches para redes de pequeno porte, normalmente chegam até 24 portas.

Até logo!