Análise e boas práticas

Quais as boas práticas para o processo de análise?

Veja abaixo exemplos de boas práticas para melhorar a capacidade de análise:

  1. A minha atuação é pró-ativa ou reativa? Antecipo-me à ocorrência do problema ou só atuo após o problema acontecer? O processo de Análise é contínuo. Quando atuamos pró – ativamente significa que estamos analisando o processo antes do resultado final.  Quando atuamos reativamente, significa que “não” estamos acompanhando o processo. Estamos avaliando o resultado dele: o produto. Isso gera dois problemas:  1)excesso de atividades secundárias, que reduzem o tempo para o foco principal  e 2) necessidade de melhorar conhecimento, habilidades e atitudes de planejamento e análise.
  1. Estou baseado em fatos e dados? Minhas fontes e indicadores (métricas) são confiáveis? Fatos e dados constroem o caminho para encontrar a solução e são os pilares para fundamentá-la. Eles legitimam a ação. No início do processo de análise pesquisamos  para reunir fatos suficientes para lançar uma luz sobre o problema. É esboçada uma hipótese inicial para o problema e o passa para a compilação dos fatos (métricas, ações e resultados) necessários para confirmá-la ou não. A análise deve ser cuidadosa, de alta qualidade, contínua, dos componentes do problema, aliada a uma atitude agressiva na coleta de dados.
  1. Consegui formular uma hipótese inicial para a resolução do problema? Gerar uma hipótese inicial é uma tentativa de solucionar o problema numa primeira abordagem. A essência da hipótese inicial é: descubra a solução do problema antes de iniciar. Importante: é uma teoria que deverá ser provada ou desmentida, ao longo da análise. A hipótese inicial dá visibilidade ao seu processo de análise. Permite compartilhar perspectivas e gera integração.
  1. Estou aplicando um método de análise estruturado? Estou dividindo o problema em problemas menores para facilitar a solução?  Desdobro a hipótese inicial em seus componentes (principais causas)? elaboro recomendações factíveis para cada causa? monte a árvore lógica?
  1. Estou com foco em resultado? Os requisitos da solução irão gerar o desempenho esperado a um custo compatível? Estou direcionado para atender as necessidades e requisitos técnicos?

Essas perguntas estão longe de serem exaustivas, mas ajudam a entender e executar o proceso de análise com maior corretismo para gerar análises mais consistentes.

 

Até logo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Navegação pelos artigos