Jornada para Cloud Computing

Como migrar para uma nova tecnologia, como cloud computing?

O modelo de cloud tem muitos benefícios, mas existem muitos “senões”, como é natural acontecer para novas tecnologias entrantes. As empresas têm as seguintes dúvidas:

  • Como desenvolver uma estratégia de migração para cloud? Como será iniciada a jornada? Quais os fatores iniciais a serem considerados?
  • Quais as reações às mudanças que acontecem nesse tipo de empreitada?
  • Quais são os principais riscos e como avalia-los, já que essa avaliação é uma das primeiras a serem feitas no processo de “go no go”?

Importante! Qualquer tecnologia ou algo novo defronta com a natureza humana da aversão à mudança. Mudanças levam inevitavelmente a reações, positivas e negativas. Nessas situações, precisamos antecipar questões e planejar respostas e ações.

De uma forma geral, questões associadas com introdução de novas tecnologias enquadra-se em 4 categorias:

  • Pessoas que simplesmente não entendem. Isso aconteceu com o telefone. Não é obvio para alguém mudar para outra coisa  — as pessoas precisam ser educadas como o modelo funciona e quais seus benefícios.
  • Pessoas que têm preocupações legítimas para não adotar uma tecnologia. De uma forma geral as razões dizem respeito ao risco — as pessoas precisam saber as garantias de segurança, gerenciabilidade e disponibilidade.
  • Pessoas que se sentem ameaçadas com a nova tecnologia porque pensam que ela pode afetar a sua subsistência. Por exemplo, cloud gerará o mesmo tipo de impacto na empregabilidade das pessoas como aconteceu com as operadoras de telefone quando da entrada das chamadas automáticas? Mesmo que não signifique perda de emprego, qual o impacto na minha situação atual? — as pessoas precisam saber dos impactos na sua situação, nos processos e habilidades.
  • Pessoas que concordam em princípio, mas precisam de tempo para adaptação, para ganhar confiança e fluência para obter maiores ganhos com a mudança — pessoas precisam ser treinadas e suportadas no processo de mudança.

Por exemplo, um técnico pode estar preocupado com a viabilidade de implantar desktops virtuais na nuvem e como a mudança impactará ao staff do help desk de TI ou um administrador de base de dados, pode estar preocupado com a segurança da base na nuvem, e assim por diante. Em todos os casos, precisamos ajudar a fazer uma transição suave e conveniente, sem impactos. Como fazemos isso?

Check List para Migrar Serviços e Tecnologias

  • 1º  Identificar o tipo de pessoa/empresa e a sua necessidade,
  • 2º Educar a pessoa e empresa como o modelo funciona com foco na necessidade – a força motriz da migração,
  • 3º Avaliar os impactos da mudança na situação atual,
  • 4º Focar na avaliação de risco com foco em segurança, gerenciabilidade de processos e disponibilidade,
  • 5º  Ajudar a fazer a mudança de forma suave para reduzir os possíveis impactos. Essa conclusão se aplica à qualquer tecnologia ou solução emergente.

 

Até logo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Navegação pelos artigos